Por existirmos, somos Consciência. Tudo o que existe foi concebido pela Consciência. O que é a Consciência? O que é o Criador? Estas são uma e a mesma pergunta.

Cada vez que uma nova definição de Consciência aparece, apenas complementa todas as outras. O universo é a Consciência, o “físico”, o etérico, o imaginário, o espaço, o tempo, a vida, tudo. Há tantas definições quantas manifestações, infinito! É a experiência, a aprendizagem, a interação, o conhecimento de si e de outros. É auto inteligente, reinventa-se a si própria e cria todo o resto. É a energia, a singularidade e o Vazio que precede e a envolve. É a Fonte.

Não sendo criada e nem destruída, transforma-se em qualquer estado em que possa imaginar. A matéria física pode ser uma ilusão da perceção, mas a Fonte, a Consciência, é tão real quanto o nosso pensamento e imaginação. Só podemos compreender alguns níveis superficiais, o horizonte de evento, uma vez que ainda não somos capazes de sentir da perspetiva do Vazio. Imagine a sensação de completude que poderia ser.

Dizemos que crescemos em consciência, mas é a consciência que nos faz crescer a nós. Á medida que se transforma e experiencia, expande-se, evolui, e contrai-se em si mesma. Da Fonte para a manifestação, e de volta para a Fonte. De si própria para fora de si, e de volta para dentro, interminavelmente.

A natureza da consciência é “A Energia”, o seu espaço de manobra é a criatividade. Só há uma energia tão poderosa, e criativa, que move o universo além de suas ilusórias fronteiras, ao mesmo tempo que gravitacionalmente segura tudo junto. É o que chamamos Amor. A natureza da Consciência é o Amor.

Amar é estar “aberto” à vida e novas experiências, diferentes perspetivas, e facetas de si mesmo. Quando “recusamos” amor, quando temos medo, fechamo-nos em um ciclo de baixas vibrações, e negamo-nos as novas experiências. Permanecemos fechados em uma única realidade, como um “sistema fechado”. Desligamo-nos da essência, desligamo-nos da Fonte. Estar consciente, ou tomar consciência é aprender algo mais, algo diferente, além das limitações do nosso entendimento, …é amar.

Quando recolhermos todas as migalhas e ligarmos todos os pontos, vamos perceber que o amor, a evolução, a criatividade, o conhecimento, são tudo sub-definições de Consciência. Não existe separação, não há divisões, é tudo a mesma coisa. E só então, quando podermos sentir verdadeiramente a Unidade de todos estes conceitos, podemos apenas SER, a Fonte.

Eli de Lemos

Anúncios