Imagine se o tempo fosse uma ilusão, tal como o espaço é uma projeção holográfica da Consciência. Já ouviu a expressão ” o tempo voa quando nos divertimos”? Ou nunca experimentou o oposto, numa situação tediosa, quando o tempo parece uma eternidade?

O Tempo não irá esgotar-se, enquanto nós acreditarmos nele, porque nós é que o criámos. Corremos pelas nossas vidas, como se o tempo fosse acabar, corremos como se não houvesse amanhã. Forçamos o tempo.

O conceito de tempo contradiz a eternidade, desde sempre e para sempre. Como essencial de energia, nunca pode ser destruído.

Podemos avaliar tempo através dos sinais nos nossos corpos. Envelhecemos, sim, mas não é o tempo que nos esgota, é a nossa qualidade de vida. Alguns envelhecem mais rápido do que outros, que preservam-se com um maior cuidado e amor-próprio.

Medimos o tempo pela lua, as estações, cada pôr-do-sol, e “agora” mais sofisticadamente pelo sistema sumérico, de sessenta segundos, sessenta minutos, horas … Medimos o tempo em ciclos, por momentos cíclicos de natureza astrológica. Esses ciclos naturais são parte de uma ordem funcional, uma harmonia universal da existência, que se repete desde sempre e para sempre, ou enquanto estamos aqui para observá-los.

Embora, pareça que o tempo está acelerando, mais uma vez, é tudo relativo à nossa perceção. O tempo sempre teve diferentes ritmos dependendo de como sentimos a Vida. As plantas não se apressam para chegar à vida, elas têm o “seu tempo”. Há muitos séculos, a vida era mais tranquila. Ao que parece, quanto mais estamos em contacto com a natureza, menos nos preocupamos com o tempo e, no entanto, tudo consegue ser feito.

Por que sentimos como se o tempo estivesse acelerando? E para que finalidade? Em primeiro lugar, a sensação de que o tempo está voando remete-nos para um estado de medo, de que não há tempo suficiente, o que é falso. Quando apressamos a vida, temos a tendência de esquecer as prioridades da existência, de viver (e não apenas sobreviver), de experienciar, de sentir, e de amar! O estado interior de constante ansiedade, e a razão pela qual gostaríamos que o tempo acelerasse rapidamente, é principalmente para evitar o desconforto interior do nosso estado atual. Foi-nos dito para esperar milagres, que em breve a salvação e o “céu na terra” estará disponível para todos, e por isso aguardamos, impacientemente.

A salvação que tanto ansiamos, SÓ pode iniciar dentro de nós, com a mudança, uma mudança interior, e a aceitação de si mesmo.

Os Seres sábios não usam relógios, nem olham para o tempo por uma resposta melhor. O que foi, sempre será. Eles param, e buscam interiormente, em silêncio, tranquilidade e paz interior.

Não esperemos mais, porque esperar mantém-nos na expectativa e presos na falta ou no medo. Vamos sentir AGORA, interiormente, a mudança que desejamos manifestar, vamos SER a mudança. O céu está aqui, agora, numa mudança de perceção. Nós somos os mestres de nossas vidas, nós somos os donos do nosso tempo.

Eli de Lemos

Anúncios