Como consequência direta da mentalidade separatista, a ciência e a espiritualidade têm vindo a “medir forças” em vez de complementarem-se mutuamente. E há um motivo muito lógico para isso. Na mentalidade da terceira dimensão, a ligação Ciência/Espiritualidade é ainda vista como um paradoxo da dualidade, um entre muitos.

Estamos vivendo em um universo onde a matéria, em suas muitas formas e diferentes frequências, é regida pela Lei universal da Finalidade ou Funcionalidade. Todos nós estamos conscientes de que cada coisa existente serve um propósito funcional, como em cada elemento é uma peça do puzzle. O mesmo com a ciência e a espiritualidade, a ciência estuda as manifestações energéticas, a matéria e as formas de vida, enquanto a espiritualidade estuda as formas abstratas e definições esotéricas de energia. Embora, em um sentido mais amplo, ambas estudam a energia em geral, a principal diferença reside na instrumentação de experimentação e terminologia. A ciência constrói máquinas, tecnologia, explora e evolui o mundo exterior, enquanto espiritualidade utiliza os sentidos de perceção, a consciência externa e interna e evolui a partir do interior do Ser.

Desde sempre, a espiritualidade tem vindo a afirmar como uma força energética, que só pode ser “sentida” em sua forma mais pura ou observada e medida pelas suas manifestações, conecta tudo. A espiritualidade vai ainda mais longe e chama essa energia primordial de Amor, a mesma definição de “Éter” ou Vácuo, e que só pode ser compreendida e sentida através da consciência do coração, a Mente do Coração, que a ciência ainda não é plenamente capaz de replicar mecanicamente, embora já se provou por instrumentação tecnológica, e novas teorias.

Uma das mais incríveis características da Consciência de Unidade, a Consciência Coletiva, é quando finalmente entendemos como tudo se conecta, como os paradoxos fazem todo o sentido. A ciência e espiritualidade sempre se interessaram pelos mesmos conceitos, mas limitadas pela barreira da linguagem/terminologia. Estamos todos de acordo, é urgente encontrar um meio-termo, para simplificar as denominações e os conceitos em um terreno comum. A espiritualidade sempre foi a fonte teórica por trás da ciência, como agora, a ciência preenche as lacunas de uma espiritualidade abstrata, e dando-lhe uma forma, uma imagem, para além de qualquer dúvida.

Há esperança, há agora muitos novos conceitos científicos que vão ao encontro da espiritualidade, assim como há muitos modelos espirituais que vão de encontro à ciência. A nova consciência une todos os campos em uma grande e arrebatadora experiência de aprendizagem. As mudanças e novas ideias estão agora a acontecer a cada segundo! Estamos vivendo um momento mágico na história, a Unidade!

Eli de Lemos

Anúncios