” Se apenas soubesse a magnificência do 3, 6 e 9, então teria a chave  do universo.” – Autor desconhecido, comummente atribuído a Nikola Tesla.

 

Desde sempre estes números têm apresentado algum mistério anexado, uma inexplicável ordem padrão. Por que Nikola Tesla fazia tudo em 3 ‘s? Alguns dizem que ele era louco e tinha um transtorno obsessivo-compulsivo, ou será que ele apenas compreendia algo que a maioria de nós não percebe?

 

Apenas algumas mentes brilhantes tentaram desvendar este enigma, Marko Rodin com a “Bobina de Rodin” e Geometria de vórtex ou vórtice com base matemática, e John Ernst Worrell Keely o descobridor da Física “Vibração simpatética” e “Força etérica”, que escreveu: “as vibrações de terços, sextos e nonos eram extraordinariamente poderosas”, demonstrou que “os terços antagônicos vibratórios eram milhares de vezes mais fortes que o calor para separar o hidrogênio do oxigênio na água “. Na sua “Fórmula de Desintegração Aquosa “, Keely escreveu que “na dissociação molecular ou desintegração de elementos simples e compostos, sejam gasosos ou sólidos, uma corrente de vibração de terços, sextos, e nonos antagônicos em sua massa irá impulsionar subdivisões progressivas. Na desintegração da água, o instrumento é definido em terços, sextos e nonos para obter os melhores efeitos. ”

 

A magia começa com o 3, a base da Criação, a Fonte, o feminino, a sintropia primordial. Como Buckminster Fuller referiu “o triângulo como a unidade mais básica de toda a estrutura, e o tetraedro (pirâmide), o mais básico sistema da dinâmica da energia.” Segundo Nassim Haramein e a Resonance Academy “os osciladores Planck triangulados fazem o tecido do espaço e do tempo, ou a informação da estrutura espaçomemória conduzindo a evolução de dinâmica universal.”

 

A Trípode da Vida – A Trindade

tripode da vida

O número três ao longo da história, civilizações antigas e praticamente todas as culturas, religiões e espiritualidade e até mesmo na ciência, desempenha um papel importante. Significa unidade, a perfeição, a criação, as bases e até mesmo o cosmo. Por exemplo, os nossos três órgãos principais que representam a manutenção da vida: o coração, os pulmões e o cérebro.

 

A Trípode da Vida ou os Anéis Borromeu representam no antigo conhecimento da geometria sagrada, a forma de energia do segundo dia da criação, e o núcleo da Semente da Vida, da Flor da Vida, que se crê conter os padrões de criação, as formas do espaço e do tempo. Acredita-se, também, que apenas olhar para estes padrões sagrados pode curar e expandir a consciência. De fato, quando sobrepostos três anéis, a 3 dimensões, na forma do trípode da vida, é gerada e emitida energia. Esta energia pode aumentar a criatividade e ampliar o nosso nível de consciência.

 

A regra de três é também um princípio que enfatiza o poder do número e da sua eficácia. Com base na expressão em latim “omne trium perfectum“, tudo o que vem em três é perfeito e completo. Este é usado até hoje em muitas áreas em técnicas de escrita, fotografia, filmes e publicidade.

 

O número seis em relação ao primeiro número (3), é seu duplo e eterno companheiro, marcando o começo da dualidade universal,  o Principio hermético do Género, as energias femininas e masculinas, como partes do Todo, o Tao Yin/Yang, e  Vesica Piscis. É com o 6 que inicia-se a expansão e entropia, que criou tudo o que podemos observar. É o aspecto masculino da energia e criação universal, e uma das partes fundamentais da Consciência Universal em manifestação.

 

O número nove é o clímax, a jóia dos três, o três vezes três, a matemática impressão digital de Deus. O seu significado é divino, representando tanto a Singularidade, o ponto inicial do Todo, e o Vácuo, o tudo e nada. Representa a Semente da Vida formado por oito esferas, o símbolo da fertilidade e da criação, o projecto do universo e da vida.

 

(Para informações mais detalhadas, veja o vídeo “The Number 9 Code”, em inglês sem legendas) https://www.youtube.com/watch?v=Stw316T0nQg

 

Se o 3 6 9 estão diretamente relacionados com a estrutura e forma de criação, tanto do ponto de vista físico como energético, então pela lógica cada um representa uma fase específica na criação, em de conjuntos de três e o nove (3×3) o equivalente ao ciclo completo das fases. Se continuarmos em conjuntos de três, confirmamos a mesma ordem repetida infinitamente: 12 (3), 15 (6), 18 (9), 21 (3), 24 (6), 27 (9), 30 (3), 33 (6), 36 (9) ….

 

Este padrão também é encontrado nos “números dos anjos”: 111 (3), 222 (6), 333 (9), 444 (12-3), 555 (15-6), 666 (18-9), 777 (21-3), 888) (24-6) e 999 (27-9). O mesmo se repete nas antigas frequências de cura, os sons da criação, as frequências Espelho Solfeggio: 147 Hz (12-3) – 258 Hz (15-6) – 369 Hz (18-9) – 471 Hz (12-3) – 582 Hz (15-6) – 693 Hz (18-9) – 714 Hz (12-3) – 825 Hz (15-6) – 936 Hz (18-9). (Para mais informações, ver artigo As Solfeggio & frequências de Cura Natural (3 6 9)).

 

Será possível que todas as pistas estejam a tentar dizer-nos alguma coisa sobre esse código, no que se refere à sua importância como base da vida e da evolução?

 

Outro fato muito interessante é a forma como estes números podem também representar formas, específicas da geometria sagrada e estruturas fundamentais enegéticas, como, por exemplo, o duplo Torus e as espirais, a proporção divina.

 

3

Double torus

3 duplo torus 1

3 duplo torus 2

 

6 e 9

69 spirals

golden ratio

Ter este conhecimento é dominar a vida e a criação diária como uma singularidade consciente, uma parte de algo que transcende a nossa mente. E, no entanto, aqui temos as chaves para criar em harmonia com o universo, e tornarmo-nos em algo que só poderíamos antes sonhar, resolver o mistério da nossa existência e função, ser uno com a Fonte, em corpo, mente e espírito (Trípode da Vida).

 

Eli de Lemos

Anúncios